• Redes sociais:   

NOTÍCIA

maio 4, 2019

Brasil fecha 2018 com queda lenta do desemprego e alta da informalidade

São Paulo – O Brasil encerrou 2018 com 12,195 milhões de desempregados e taxa de desemprego no quarto trimestre no menor patamar do ano, mantendo o ritmo lento e gradual de recuperação do mercado de trabalho em linha com a atividade econômica, mas com avanço da informalidade.

A taxa de desemprego do Brasil ficou em 11,6 por cento no quarto trimestre, contra 11,9 por cento no terceiro e igualando o resultado dos três meses até novembro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira.

Os dados apresentados pela Pnad Contínua mostram que o mercado de trabalho continua marcado pelo desalento dos trabalhadores e pela informalidade, embora a taxa de desemprego tenha terminado 2018 no nível mais baixo do ano.

No final de 2017, a taxa havia ficado em 11,8 por cento.

Entre outubro e dezembro o contingente de desempregados no Brasil caiu a 12,195 milhões, de 12,492 milhões no terceiro trimestre e 12,206 milhões nos três meses até novembro. No mesmo período de 2017 o número de desempregados era de 12,311 milhões.

No último trimestre de 2018, o número de desalentados, ou a quantidade de trabalhadores que desistiram de procurar uma vaga, ainda mostrou-se elevado, mas caiu a 4,706 milhões, de 4,776 milhões no terceiro trimestre e 4,705 milhões no trimestre até novembro.

 

Fonte: https://exame.abril.com.br/economia/brasil-fecha-2018-com-queda-lenta-do-desemprego-e-alta-da-informalidade/

Noticias relacionadas

Estas habilidades estão em alta no mercado de tecnologia da informação
São Paulo – Henrique Gamba, sócio-diretor da KINP, fala sobre as tendências do mercado de tecnologia da informação. De acordo com o especialista, três áreas são bastante promissoras. Confira...

Sanar o gargalo do ensino técnico é a bandeira do novo ministro
Uma das principais bandeiras do novo ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, é a expansão dos cursos técnicos para preparar jovens para o mercado de trabalho. O gargalo de fato existe. ...

Pessoas com síndrome de Down driblam crise e abrem seus negócios
O cenário econômico brasileiro, marcado pela paralisia de investimentos  e de contratações, afeta também a inclusão de pessoas com síndrome de Down e deficiência intelectual no mercado...

‘O trabalho adoece e mata as pessoas’, alerta especialista de Stanford
Parece exagerado, mas os números não mentem: o atual sistema de trabalhoestá matando as pessoas. Pelo menos é o que afirmou Jeffrey Pfeffer, escritor, pesquisador e professor da Universidade de S...

Desemprego sobe e atinge 13,1 milhões em fevereiro
A taxa de desemprego no Brasil subiu para 12,4% no trimestre fechado em fevereiro, acima dos 11,6% registrados no período anterior. Os números são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios ...

FALE CONOSCO